HORROR – Homem de 28 anos é decapitado com golpe de foice, em Itaúna

posto_de_gasolina_mg_431_foto_divulgacao_da_rede_galvao

Em abril do ano passado, um crime bárbaro chocou os moradores da cidade de Itaguara, na Região Central de Minas. Um homem de 28 anos chegou de motocicleta, parou seu veículo e ligou uma motosserra. O homem escolheu aleatoriamente uma pessoa, investiu contra ela e a atacou, cortando-lhe um braço. A vítima ainda conseguiu correr, mas Nivair Geraldo da Silva, o assassino da motosserra, correu e alcançou sua vítima, cortando-lhe o pescoço, perfurando um dos pulmões e ainda provocando outras lesões, deixando o corpo totalmente mutilado.

Agora, um ano depois, outro crime assustador na Região Central de Minas, desta vez foi na cidade de Itaúna. Um homem de 28 anos foi decapitado, sua cabeça foi separada do corpo por um golpe de foice. Segundo a perícia, ele estava vivo, de pé, quando recebeu um único e certeiro golpe: a cabeça caiu para um lado e o corpo para outro.

Lucian Aguiar era gerente de um dos postos de combustíveis de uma grande rede pertencente ao seu sogro, ele foi encontrado morto na noite de ontem, por volta de 20h40, perto da região conhecida como Arruda. Um morador viu o corpo, pouco tempo depois da decapitação e acionou a polícia. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Wesley de Castro, a vítima desceu da caminhonete que dirigia e foi surpreendido pelo assassino.

A polícia acredita que Lucian conhecia o assassino e que tenha ido ao seu encontro, o autor do crime também chegou de carro ao local marcado, o que caracteriza uma emboscada. Segundo o delegado Wesley de Castro, “foi um crime premeditado. A foice foi preparada e afiada. Um homem cometeu o assassinato, em razão da força necessária para decapitar alguém com apenas um golpe”, explicou ele. A arma do crime foi apreendida perto do corpo e a Saveiro de Lucian também estava no local.

O delegado Castro descartou latrocínio, que é roubo seguido de morte, porque nada foi levado da vítima. As investigações estão voltadas para um assassinato motivado por vingança. “Latrocínio não é um crime em que se demonstra tanto ódio da vítima. Este homicídio foi cometido por alguém que tinha um ódio incutido”, afirmou o delegado de Itaúna.

Lucian não tinha passagem pela polícia, mas já fez vários boletins de ocorrência como vítima de crimes de roubo e furto por causa dos postos de combustíveis de seu sogro. Na quinta-feira, inclusive, o gerente prestou depoimento em um cartório da cidade sobre um furto cometido em uma das unidades da rede e há suspeita que um funcionário seja o autor do roubo.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, o assassino é alguém ligado ao gerente, mas o policial não quis adiantar as possíveis identificações levantadas. A polícia já tem pistas sobre o carro que foi ao encontro de Lucian na zona rural. Dois suspeitos de envolvimento no homicídio foram ouvidos na delegacia neste sábado e liberados.

O crime teve grande repercussão na cidade de Itaúna porque Lucian Aguiar era muito conhecido e por causa da brutalidade do homicídio. “Este tipo de morte só se vê nos chamados tribunais do tráfico. É primeira vez que investigo um crime de decapitação com um golpe único”, diz o delegado.

jornaldelavras.

Compartilhe

Copyright © Guia BrasilNet - Guia BrasilNet trás Busca,Empresas,Serviços, Notícias, Humor, Dicas, Promoções, Oportunidades e Negócios de Minas Gerais