LAVRAS – Negativa de atendimento na Urpa termina em óbito e B.O. na polícia

urpa_foto_jornal_de_lavras_guiaminas

Foi registrado um boletim de ocorrência na polícia Militar referente a negativa de atendimento a um paciente na Unidade Regional de Pronto Atendimento (Urpa), de Lavras. A denúncia foi de uma sobrinha da vítima.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado na Polícia Militar, em Ribeirão Vermelho, um paciente com câncer em estado terminal deu entrada no hospital de Ribeirão Vermelho, ele foi avaliado pela médica de plantão Vera Lúcia Cavalcante Bello, que concluiu que seu estado de saúde era extremamente grave e que aquele hospital não dispunha de recursos para atendê-lo.

A médica entrou em contato com a Urpa em Lavras para a transferência do paciente, porém, de acordo com o boletim de ocorrência registrado, “houve a negativa deles em receber o paciente, devido a ordem judicial* que proíbe pacientes de outras cidades que não sejam de Lavras”.

Diante da negativa de atendimento da Urpa, a médica entrou em contato com o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Emergência), para que o paciente fosse levado para o setor de oncologia na cidade de Varginha, porém, segundo o boletim de ocorrência, o médico do Samu, ao receber os dados sobre o paciente e a real situação de sua saúde, se recusou a fazer o translado temendo que ele falecesse durante o trajeto.

Diante disso, o Hospital Municipal de Ribeirão Vermelho ficou sem alternativa para o caso do paciente. Quando sua sobrinha tomou conhecimento dos fatos, procurou a Polícia Militar para registrar o boletim de ocorrência de omissão de socorro na Urpa, porém, quando ela ainda elaborava a denúncia, tomou conhecimento que seu tio foi a óbito.

Isso aconteceu na terça-feira, dia primeiro, porém, o caso somente foi a público depois da reunião no Ministério Público realizada na tarde desta sexta-feira em Lavras, onde estiveram presentes, representantes das cidades de Itumirim, Luminárias, Carrancas, Itutinga, Ribeirão Vermelho, Ingaí e Nepomuceno. A reunião foi com o promotor Wesley Leite Vaz, sobre o atendimento negado pela Urpa de Lavras às cidades da microrregião.

*Nota da Redação: Embora a sobrinha do paciente tenha narrado no boletim de ocorrência que o decisão de atender somente pacientes de Lavras na Urpa seja decorrente de ordem judicial, a decisão na verdade foi tomada unicamente pela Prefeitura de Lavras, sem intervenção do judiciário.

jornaldelavras.

Compartilhe

Copyright © Guia BrasilNet - Guia BrasilNet trás Busca,Empresas,Serviços, Notícias, Humor, Dicas, Promoções, Oportunidades e Negócios de Minas Gerais